É possível treinar a memória contra a depressão

Exercícios cognitivos ajudam a desviar mente de lembranças negativas e a aprimorar a capacidade de evocar eventos específicos

Distúrbios depressivos e de ansiedade têm uma importante característica em comum: a tendência a se fixar em aspectos negativos de uma situação. Estudos mostram que as pessoas diagnosticadas com depressão têm dificuldade de se lembrar com nitidez de eventos específicos, como a festa de aniversário de 8 anos que ganhou dos pais.

De forma semelhante, um dos traços de ansiedade é uma espécie de estado de alerta permanente, que direciona a atenção para detalhes que representam uma possível ameaça. Agora, um estudo publicado no Clinical Psychological Sciene sugere uma maneira de combater essa propensão: estimular a mente a acessar as memórias positivas.

Cientistas da Universidade de Esfahan, no Irã, e da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, submeteram 23 adolescentes afegãos refugiados a um teste de memória com 18 palavras positivas, neutras e negativas em língua presa. Os jovens haviam perdido os pais em conflitos armados e apresentavam sintomas de depressão.

Eles deviam ler as palavras e relacionar cada uma delas a uma lembrança específica antes de responder a questionários que avaliavam a intensidade dos sinais de depressão e ansiedade. Em seguida, os pesquisadores selecionaram 12 deles para fazer treinamentos semanais para aprender a evocar memórias específicas relacionadas as palavras.

Dois meses depois, os 23 jovens refizeram o teste e responderam o mesmo questionário. O grupo que passou pelo treinamento revelou não só maior habilidade em descrever recordações específicas relacionadas a qualquer tipo de palavra, como suas respostas ao questionário refletiram melhora dos sintomas de depressão e ansiedade, o que não aconteceu com os adolescentes que não fizeram o treinamento. Segundo os autores do estudo, as abordagens relacionadas à memória abrem novas perspectivas de tratamento para os transtornos psíquicos.

Fonte/Créditos: Mente e Cérebro

Leave a reply